Jornal Tribuna Popular ::: Guanambi - BA :::
NOTÍCIAS
Concursos
Copa do Mundo 2010
Política
Reportagem Especial
Policial
Regional
Estadual
Nacional
O Mundo
Economia
Educação
Meio Ambiente
Saúde
Esporte
Local
CANAIS
Alto Astral
Turismo
Reflexão
Dicas e Truques
Editais
Artigos
Parábola
Telefones Úteis
Eventos
Horóscopo
Culinária
Poesias
Piadas
Aniversariantes
Contas Públicas
LINK'S
Micks Informática
Vilson Nunes
Farol da Cidade
Joaquim José Show
Folha do Vale
Sudoeste Bahia
Blog Tiago Marques
Pref. de Guanambi
Alô Cidade
Lobo Mau
Blog do Latinha
Caetfest
Iguanambi
Twitter Trib.Popular
Face Tribuna Popular
REDEINTERSOFT.COM
a-Bahia.com
Portal Pindai
Portal Montes Claros
 
a a a
 
Bahia: Arrecadação do ICMS em dezembro cresce e Estado recupera parte das perdas com a crise
 
Segunda, 11 de Janeiro de 2010  
 

A arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do Estado da Bahia atingiu, em dezembro de 2009, o montante de R$ 838,32 milhões, o que representa um crescimento de 6,35% em relação ao mesmo mês do ano passado. Já a receita de todos os tributos arrecadados pelo Estado apresentou variação positiva de 7,97% no último mês do ano, com o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) tendo incremento de 32,68% e as Taxas, com montante de R$ 23,5 milhões, crescendo 9,23%.

A Bahia registrou também, em dezembro, variação positiva no Fundo de Participação dos Estados (FPE) de 3,91% em relação a dezembro de 2008. Já o acumulado do ano apresentou perdas na comparação com o período anterior, com redução de mais de R$ 159 milhões, ao passar de R$ 4,41 bi (2008) para R$ 4,25 bi (2009), ou retração de 3,62%.

O crescimento de dezembro ajudou a Bahia a recuperar parte das perdas acumuladas ao longo do ano passado em função da crise econômica mundial, que puxou o resultado total para uma baixa de 0,88%, ou seja, o Estado perdeu, em 2009, R$ 93,9 milhões em relação a 2008 com as receitas tributárias.

O ICMS, principal tributo, apresentou recuo nominal no ano de 1,86%. Mesmo assim, os dados da Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz) mostram que a arrecadação desse imposto em 2009 atingiu o posto de segunda maior dos últimos dez anos, com correção pelo IPCA.

De acordo com o secretário da Fazenda, Carlos Martins, o ano de 2008 foi um ano de economia aquecida, no qual o ICMS registrou incremento nominal de 14% em relação ao ano de 2007. Desta forma, a base comparativa para o período de janeiro a dezembro de 2009 foi bastante elevada.

O secretário ressalta ainda que os resultados do ICMS nos últimos meses do ano mostram que o estado está se recuperando da crise e a queda ao longo de 2009 se deve, principalmente, ao perfil da economia baiana. Martins disse que uma das principais fontes de arrecadação da Bahia, a Indústria, em especial a de petróleo, foi fortemente atingida pela crise econômica mundial, por isso o Estado apresentou queda. “Outros estados que têm essa mesma sistemática, como Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e São Paulo, também registraram perdas de arrecadação de ICMS em segmentos ligados à produção industrial e à exportação”.

Distribuição - A arrecadação do ICMS, principal tributo estadual, é dividida entre os setores econômicos Comércio, Indústria e Serviços. Para Martins, o setor Comércio, que abrange o Varejo e o Atacado, mostrou que as políticas públicas de estímulo ao consumo das famílias, através da ampliação ao crédito, da desoneração tributária e do estímulo ao emprego, tanto do governo federal quanto do Estadual, alcançaram plenamente os resultados. “Só a Bahia teve, durante o ano, um incremento no ICMS de 11,45% nesse setor, passando de R$ 3,10 bilhões para R$ 3,45 bilhões”.

O setor de Serviços, denominação empregada para as empresas de comunicação e energia, praticamente apresentou o mesmo desempenho do ano anterior, com uma leve retração de 0,47%, sendo a receita de R$ 2,37 bilhões de 2008 e R$ 2,36 bilhões em 2009.

A Indústria, particularmente a petroquímica, foi a mais afetada pela crise mundial. A retração da atividade econômica nos primeiros meses do ano passado, a queda abrupta do preço da nafta, insumo básico para a petroquímica e a retração nas exportações industriais foram as causas dessa redução de arrecadação, que passou de R$ 4,56 bilhões em 2008 para R$ 4,039 bilhões em 2009.

A decisão da Sefaz para combater os efeitos da crise mundial foi a de apoiar o empresariado, dentro da ótica de promoção do desenvolvimento do Estado. Para isso, reduziu para 12% a carga tributária dos produtos petroquímicos básicos, medida adotada em maio de 2008, o que beneficiou as empresas da 2ª geração do Pólo Petroquímico. Política semelhante foi empregada para as empresas do segmento Couro e Calçados, em função das liberações de créditos realizadas em 2009, dentre outras ações.

Bahia destaca-se em arrecadação no Nordeste

Mesmo com os problemas enfrentados no decorrer do ano, a Bahia continua sendo o estado que mais arrecada no Nordeste, superando em uma vez e meia o segundo na região, além de ter a sexta arrecadação do país, aproximando-se cada vez mais do quinto colocado.

O desempenho da arrecadação do ICMS, quando comparado com estados do Nordeste, apresenta discrepâncias, já que o perfil da receita tributária destes estados é bastante peculiar. Observando um estado que registrou crescimento, o Ceará, o desempenho positivo se justifica pelos resultados do Comércio, já que nos setor de Combustíveis houve perda nominal de 8%. A Energia Elétrica teve perda de 3,5%, sendo esta uma atividade diretamente ligada ao desempenho da Indústria. 

Sobre os estados de outras regiões, no Espírito Santo, onde a economia tem perfil semelhante ao da Bahia, o resultado comparativo do período de janeiro a dezembro de 2009 em relação ao ano de 2008 apresentou perda nominal de 6%, resultado justificado pela retração da Indústria de aproximadamente 20%, principalmente a de extração mineral (petróleo) e metalurgia. Já Minas Gerais registrou retração de cerca de 2% no comparativo nominal do ano de 2009 com 2008.

O setor Comércio seguiu a tendência verificada em outras unidades da federação, mas na Indústria o desempenho foi bastante negativo, com perda nominal de 38% na metalurgia, recuo de 15,5% no ICMS vinculado às importações de matérias primas e uma perda de 68% na indústria mineral, segundo informações da Secretaria da Fazenda desse estado.

Por sua vez, São Paulo verificou perda nominal de arrecadação de ICMS no período de novembro de 2008 a novembro de 2009 da ordem de 2%, considerando que o estado ainda não divulgou nenhuma informação sobre a arrecadação de dezembro de 2009. A indústria paulista registrou recuo de 5% na atividade econômica no mês de novembro de 2009 em relação ao mesmo mês do ano anterior e nas importações a retração foi de 5,1%.

 

 


 
 
Untitled Document
 Deixar um comentário
Jornal Tribuna Popular ::: Guanambi - BA :::
Fones: (77) 9 9962-1243 e 9 8827-5702
Editora Tribuna Popular LTDA - Avenida Presidente Castelo Branco, 96, Centro, Guanambi-Ba.