Jornal Tribuna Popular ::: Guanambi - BA :::
NOTÍCIAS
Concursos
Copa do Mundo 2018
Política
Reportagem Especial
Policial
Regional
Estadual
Nacional
O Mundo
Economia
Educação
Meio Ambiente
Saúde
Esporte
Local
CANAIS
Alto Astral
Turismo
Reflexão
Dicas e Truques
Editais
Artigos
Parábola
Telefones Úteis
Eventos
Horóscopo
Culinária
Poesias
Piadas
Aniversariantes
Contas Públicas
LINK'S
Micks Informática
Vilson Nunes
Farol da Cidade
Joaquim José Show
Folha do Vale
Sudoeste Bahia
Agência Sertão
Pref. de Guanambi
Alô Cidade
Lobo Mau
Blog do Latinha
Caetfest
Iguanambi
Twitter Trib.Popular
Face Tribuna Popular
REDEINTERSOFT.COM
a-Bahia.com
Deputada Ivana Bastos
Portal Alô Pilões
 
a a a
 
Aviões chegam da África para bombardear nuvens em Montes Claros
 
Sexta, 05 de Janeiro de 2018  
 

Os aviões da empresa Modclima Serviços Aéreos chegaram da África para, essa semana, iniciarem o bombardeio de nuvens em Montes Claros, mais especificamente na região da Barragem de Juramento, visando provocar chuvas que permitam recuperar o nível de água na barragem responsável por 65% do abastecimento da população local. O objetivo é aumentar a quantidade de chuvas no local. O superintendente regional da Copasa, Roberto Luiz Botelho, explica que as aeronaves estavam na Africa, justamente para provocar as chuvas, mas já retornaram ao Brasil. A Modclima Serviços Aéreos venceu a licitação no valor de R$1,291 milhão para, em quatro meses, aplicar a tecnologia de indução de chuvas. A tecnologia faz a aspersão de nuvens, com as microgotas, provocando as chuvas. Essa técnica é usada pela estatal paulista Sabesp, com bons resultados.

Para bombardear as nuvens, a Copasa contratou um satélite para a barragem de Juramento, além de usar outro existente em Francisco Sá. Assim, quando uma nuvem se formar para as chuvas, imediatamente o avião, equipado com a tecnologia, sai do aeroporto de Montes Claros, a fim de fazer o bombardeio. A empresa vencedora da licitação alugou um hangar no Aeroporto local.  O superintendente Roberto Luiz Botelho esclarece que, na busca de resolver a situação do abastecimento de água em Montes Claros, desde o início de dezembro passou a fazer a captação de 2/3 da água em ponto do rio Verde Grande, depois de Montes Claros, com 220 milímetros, depois que se constatou maior quantidade de chuvas nesse ponto.

O ambientalista José Gomes Assis, que tem um pluviometro instalado em sua casa, na Vila Guilhermina, afirma que o mês de dezembro  fechou com 238,4 milímetros de chuvas, o que é considerado um índice bom, em relação a média de 12 anos de precipitações que é 201,6 mm no mesmo mês. Ele levantou os indicadores desde 2005, quando constatou que as melhores chuvas ocorreram em 2013, com 367,9 mm e 359,1 mm em 2011. Porém, desde 2014 que Montes Claros vem sendo castigada com poucas chuvas, pois foi de 83,5 mm em 2014; 112,1 mm em 2015; 87,1 mm em 2016 e, agora, de 238,4 em 2017. No mês de dezembro de 2017, somente no dia 10 foram 41,8 mm. (GA)

Por GIRLENO ALENCAR / GAZETA NORTE MINEIRA


 
 
Untitled Document
 Deixar um comentário
Jornal Tribuna Popular ::: Guanambi - BA :::
Fones: (77) 9 9962-1243 e 9 8827-5702
Editora Tribuna Popular LTDA - Avenida Presidente Castelo Branco, 96, Centro, Guanambi-Ba.