Jornal Tribuna Popular ::: Guanambi - BA :::
NOTÍCIAS
Concursos
Copa do Mundo 2010
Política
Reportagem Especial
Policial
Regional
Estadual
Nacional
O Mundo
Economia
Educação
Meio Ambiente
Saúde
Esporte
Local
CANAIS
Alto Astral
Turismo
Reflexão
Dicas e Truques
Editais
Artigos
Parábola
Telefones Úteis
Eventos
Horóscopo
Culinária
Poesias
Piadas
Aniversariantes
Contas Públicas
LINK'S
Micks Informática
Vilson Nunes
Farol da Cidade
Joaquim José Show
Folha do Vale
Sudoeste Bahia
Blog Tiago Marques
Pref. de Guanambi
Alô Cidade
Lobo Mau
Blog do Latinha
Caetfest
Iguanambi
Twitter Trib.Popular
Face Tribuna Popular
REDEINTERSOFT.COM
a-Bahia.com
Portal Pindai
Portal Montes Claros
 
a a a
 
“Como é o Panamá”
 
Quinta, 15 de Julho de 2010  
 

Na política internacional pouco se ouve falar da República do Panamá é um país que liga a América Central e a América do Sul, ele é dividido pelo conhecido Canal do Panamá, sendo que ao norte está o Mar do Caribe, a sul o Oceano Pacífico, a oeste a Costa Rica, e a leste a Colômbia. A moeda oficial do país é o Balboa Panamenho e o Dólar americano. Apesar de um país com superfície pequena, por volta de 77.082 km², é um país com índice GINI e de IDH alto, com esperança de vida de 75,5 anos (57º).
          
O PIB do Panamá US$ 42,446 bilhões, com renda per capita da ordem de US$ 12.503, de população predominantemente mestiça, têm o espanhol como língua oficial, o índice de alfabetização é da ordem de 93,4% da população. A capital é a cidade do Panamá.
          
O país é cortado por montanhas, dentre elas a Serra de Tabasará, cordilheira de San Blas e a serra do Darién, rios importantes como Tuira e o Chagres. Existe o arquipélago das Pérolas, localizado no Golfo do Panamá. Vulcão inativo Baru, as bacias fluviais de Bayano e Chucunaque, fazem parte da exuberância natural do país, cortado por lindas paisagens tropicais. No estreito istmo panamenho há por volta de 500 rios, que nascem em sua maioria nas montanhas, dentre eles os principais são: o Chepo, o Tuira, o Sixaola, o Chiriquí e o Viejo.
          
Com rica vida marinha por ser banhado por dois oceanos, o Pacífico e o Atlântico. Em suas águas as lagostas, camarões, merlim, peixe vela, atum, bonito, barracuda, tintorera, pargo, peixe serra e amêijoas, entre outros.
          
A principal fonte de renda está associada ao Canal do Panamá e ao setor de serviços, aliado à zona de livre comércio de Colón, onde o aluguel da bandeira (Bandeira de Conveniência) panamenha para registro de navios do mundo todo é muito comum, os registros de navios é a principal fonte de receita do país.
          
O principal produto mineral é o sal, e a pesca uma das atividades mais importantes do país (exportação de crustáceos), grandes empresas agrícolas destinam sua produção para as exportações de frutas tropicais, tomates, cebolas, batata e milho, além de açúcar e café em uma produção mecanizada. As pequenas propriedades é que abastecem parte do mercado local.
          
O setor industrial ainda é relativamente fraco, o que observa oportunidades de negócios para o investidor internacional.
          
Devido às facilidades que o governo panamenho oferece e sua posição geográfica, acabou-se tornando um importante centro financeiro internacional, com bancos americanos e europeus presentes no país.
          
O canal interoceânico é fundamental para toda região no abastecimento de produtos e alimentos. Os principais portos são o de Cristóbal e o do Balboa.
           
Próximo à cidade do Panamá fica o Aeroporto Internacional Tocumen, o país têm uma população total estimada de 3.309.670 habitantes (2008).
           
O país está com ações externas no sentido da atração de investimentos e de melhorar o acesso aos mercados.
           
Um ponto importante com referência as ações de integração comercial se faz presente em ações como a da Câmara de Comércio do MERCOSUL e Américas, que no dia 09 de abril de 2010 assinaram um convênio para a possível abertura do Comitê Panamá da Câmara do MERCOSUL e a instalação de Showroom da Câmara para divulgação e comercialização de produtos intra-regionais. Uma boa oportunidade para empresas brasileiras que pretendem expandir seu mercado para a América Central.
           
A República do Panamá está desenvolvendo políticas integradas de turismo o que pode permitir em um futuro próximo, oportunidades de franquias internacionais para serem instaladas nos pontos de maior impacto turístico. Como podemos observar, os olhares atentos da globalização começam a desenvolver agentes de interação econômica com a capacidade de provocar desenvolvimento sustentável aquela nacionalidade.

 

Welinton dos Santos é economista

 


 
 
Untitled Document
 Deixar um comentário
Jornal Tribuna Popular ::: Guanambi - BA :::
Fones: (77) 9 9962-1243 e 9 8827-5702
Editora Tribuna Popular LTDA - Avenida Presidente Castelo Branco, 96, Centro, Guanambi-Ba.