Jornal Tribuna Popular ::: Guanambi - BA :::
NOTÍCIAS
Concursos
Copa do Mundo 2010
Política
Reportagem Especial
Policial
Regional
Estadual
Nacional
O Mundo
Economia
Educação
Meio Ambiente
Saúde
Esporte
Local
CANAIS
Alto Astral
Turismo
Reflexão
Dicas e Truques
Editais
Artigos
Parábola
Telefones Úteis
Eventos
Horóscopo
Culinária
Poesias
Piadas
Aniversariantes
Contas Públicas
LINK'S
Micks Informática
Vilson Nunes
Farol da Cidade
Joaquim José Show
Folha do Vale
Sudoeste Bahia
Blog Tiago Marques
Pref. de Guanambi
Alô Cidade
Lobo Mau
Blog do Latinha
Caetfest
Iguanambi
Twitter Trib.Popular
Face Tribuna Popular
REDEINTERSOFT.COM
a-Bahia.com
Portal Pindai
Portal Montes Claros
 
a a a
 
“Olhar crítico: Homem X Natureza (1ª parte)”
 
Quinta, 15 de Abril de 2010  
 

Este artigo é um ponto de reflexão das atitudes do Homem versus Natureza.
        
Muito já foi escrito sobre meio ambiente, além de vários artigos que eu mesmo escrevi sobre os alertas do clima, mas vivemos uma realidade em que é necessário tomar as rédeas da direção. Os caminhos da Humanidade podem levar ao extermínio da raça humana, simplesmente por falta de coisas básicas para nossa sobrevivência como à água, o oxigênio, o alimento, o respeito à vida e outros.
        
Existe um livro chamado “The Last Hours of Ancient Sunlight” do autor Thom Hartmann, que precisa ser divulgado, ele comenta como o planeta está sendo prejudicado e como podemos impedir esta destruição.
        
Destruindo nosso ecossistema, como seres dominantes, seremos dominados pela falta de recurso a explorar e do que fazer no futuro. Sem oxigênio em abundância não haverá como viver, mesmo assim, continuamos a derrubar árvores e mais árvores, achando que cortando as árvores mais velhas estamos dando sustentabilidade à exploração das florestas, justamente estas que levaram de 100 a 300 anos para crescer e ter a força suficiente para produzir o oxigênio para o planeta.  O mundo está a um pequeno passo do ponto de desequilíbrio fenomenal, a Floresta Amazônica ainda é um ponto de equilíbrio para o planeta. Existem críticas que outros países derrubaram suas florestas e agora estão opinando sobre o Brasil, mas justamente por isso que nos alertam, pois, os efeitos devastadores do solo sem nutrientes, da escassez de água e da diminuição da vida, além dos efeitos desastrosos ao meio ambiente provaram que não vale a pena, o prejuízo verificado naquela sociedade.
        
O governo diz que está diminuindo o desmatamento da floresta, mas nos atuais milhares de quilômetros de derrubada da floresta Amazônica por ano, um dia desaparecerá.
         
No convívio entre o Homem e a árvore, este último tira o dióxido de carbono da atmosfera e transforma em seu próprio alimento para crescer, liberando oxigênio. O lixo da árvore é o oxigênio, como diz o livro escrito por Neale Donald Walsch. Já o Homem, algumas pessoas conscientes até plantam e cuidam de árvores, outros exploram o manejo sustentado ou não em desequilíbrio com o meio ambiente sobre sistema de intervenção que muitas vezes afeta o volume de nutrientes do solo, provoca consumo excessivo de água e seca nascentes, o resultado é sentido depois de anos ou décadas de exploração, daí o remédio não faz mais efeito.
         
A Terra não existe para exploração da espécie dominante, mas sim para o convívio em harmonia uma questão simples de interação para a existência.
         
Procuramos sempre o caminho mais difícil para exploração econômica, como no caso das energias, priorizamos o petróleo e será assim por muito tempo, devido à cadeia econômica envolvida. O mesmo vale para o papel, os remédios, a energia nuclear, exploração irregular de alguns minérios, mesmo sabendo que existem soluções mais baratas, sustentáveis e que respeitem a natureza e a vida.
        
Um exemplo é o cânhamo uma planta que possui uma infinidade de usos, desde a fabricação de papel, tintas, detergentes, óleo, medicamentos até geração de biocombustível, produzir papel desta planta é barato e não seria necessário derrubar árvores ou agredir o meio ambiente, de fácil adaptação ao clima e solo.
        
No momento colocamos produtos químicos no solo que são absorvidos por plantas, que alimentam os animais, que nos alimentam. Parece uma prática suicida e dizemos ser inteligentes, engolindo toxinas que fazem mal a saúde.
        
O instinto de ter ao invés do ser está provocando o desequilíbrio da sociedade capitalista que vivemos. O consumo inconsciente e constante de produtos que interferem na natureza provocará uma realidade que poucos gostariam de assistir. Chegou à hora de refletir e analisar todos os produtos que consumimos e fazer a nossa parte, desde a reciclagem, até a divulgação de milhares de ações de ajuda ao meio ambiente. Seja um cidadão planetário consciente, você precisa ser e o mundo agradece.
        
Como observamos este olhar crítico é ainda a primeira parte de um conjunto complexo de reflexões do HOMEM x NATUREZA, respeitar o meio ambiente deve ser uma regra para o respeito ao Ser Humano.

 

Welinton dos Santos - É Economista e Psicopedagogo, Membro da Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio, Indústria e Agricultura, Delegado de Economia de Caçapava, Ex-Coordenador do Projeto URB-AL - União Européia e América Latina - rede 7, Palecistra, conferencista nacional, Colaborador de Projetos Sociais, dentre outros.

 


 
 
Untitled Document
 Deixar um comentário
Jornal Tribuna Popular ::: Guanambi - BA :::
Fones: (77) 9 9962-1243 e 9 8827-5702
Editora Tribuna Popular LTDA - Avenida Presidente Castelo Branco, 96, Centro, Guanambi-Ba.